quinta-feira, 25 de maio de 2017

CRÔNICA DO PADEIRO

O meu pai era padeiro
Com a mão pegava um Francês
E quebrava-o num creque
Com o som, sorria por dentro

Papai partia-o ao meio
Com sua pinça dos dedos
Do pão puxava o miolo
E comia-o gargalhando

"Uma questão de bom gosto",
O lema da padaria,
Que já tivera o meu nome
Depois o da minha filha

Que o fazia mais feliz?
Nunca de mim se orgulhava 
Tanto quanto do pão seu:
"Melhor de toda a cidade"!

Que engrandece mais alguém
Do que a perfeição do filho
Do seu labor? Um homem 
Se mede pelo que faz.