quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

SONETO: Deus está

Deus está quando eu amo com meu corpo
Quando até prostituo minha mente
No meu beijo ou no roubo por conforto
              Nas escolhas que eu faço, cá na gente
              Tirania que exerço ou que me exercem
              Verdade universal, boca que mente
Deus está até na Fé, no ódio que expelem
Na Caridade de Boa Vontade
Nas tuas tetas que as ondas refletem
              No lucro do patrão, na Imensidade
              Deus do suor do chão, na violência
              Na fadiga e no gozo, Claridade
Deus está até por trás da Inocência
Soma total de tudo:             Permanência