segunda-feira, 19 de junho de 2017

CANTILENA: O SONO É MAU

Tive uma lembrança triste
Tal qual eu nem acordasse
O sono é mau quando existe
Esta amargura que insiste
Em molhar a nossa face.

Nessa dor em que me viste,
Minha mãe, em todo prostrado:
Como escorpião cercado
Com o próprio aguilhão em riste
Mira a si, desesperado.

É nessa dor de penado
Tal a vida amargurasse
Como um café que calado
Engulo, frio e vomitado,
E o próprio Sol apagasse.

Assim, minha mãe, encontrado
Fui por teu olhar tristonho.
O sono é mau quando o sonho,
Da vida, é desenganado
Por um sofrer que me imponho.