terça-feira, 20 de julho de 2010

PAI NOSSO

Papai que está todo tempo ao meu lado,
honras e santidades para o seu nome comum de todo dia,
venha, entre, sente-se na minha casa, na minha janela, varanda, no meu peito,
porque cá e aqui dentro é o Senhor que manda, Camarada.


O pão está cada vez mais difícil de comprar,
mas a gente batalha, luta, consegue e não esmorece.
Por isso perdoe a mente suja, a boca suja, o coração e a mão sujos,
assim como a gente faz um esforço danado para ser bom, para aprender a perdoar.


Papai, não me deixe errar assim,
a carne é fraca, o Senhor sabe, foi quem fez,
mas o espírito tem que aguentar a barra, se superar...
E continue assim, fehcando o meu corpo contra todo o mal.

Grato.