segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

DE REPENTE FOI O BEIJO

De repente foi o beijo

como de um estalo

Mas não foi a sedução

Trovão 

Mas inteira estação

Longas foram as conversas

Os sorrisos

Olhares

O tocar

Da pele

O reconhecimento preciso e delicado das mãos

Mas o beijo surgiu assim

Eu não esperava

Esperavas não

Desejávamos

Olhamo-nos sorrimo-nos cheiramo-nos 

os nossos hálitos

E este beijo desmanchou-se em nós

E é como agora que viver tornou-se amargura

?

Por um relance tão rápido

Pelo surgido no de repente 

E visualizado por eras

Um beijo que nos veio

E roubou-nos

O resto de tempo de nossas vidas.